• Atlético Mineiro
  • Fluminense
  • Grêmio
  • São Paulo FC
  • Corinthians
  • Internacional
  • Vasco da Gama
  • Santos FC
  • Sport
  • Palmeiras
  • Atlético PR
  • Chapecoense
  • Ponte Preta
  • Avai
  • Cruzeiro
  • Flamengo
  • Figueirense
  • Goias
  • Coritiba
  • Joinville

Vasco 3 x 2 Fluminense – Em partida emocionante, com direito a duas viradas no fim do segundo tempo, Gigante da Colina vence e vai a final

Cruz-maltinos conseguem virada épica e estão na final da Taça Guanabara
Guilherme Pinto/O Globo

Ninguém esperava um final de classico tão dramático entre Fluminense e Vasco. O primeiro tempo da semifinal acabou sem grandes emoções. Um empate em 0 a 0 que estava dando ao Cruz-maltino a vaga na grande decisão, já que foi o primeiro lugar do seu grupo e jogava por um empate. O segundo tempo também não empolgava tanto. Somente na segunda metade da etapa final que o jogo pegou fogo. As equipes pareciam estarem ligadas na tomada e veio uma chuva de gols e momentos emocionantes.

Aos 24 minutos do segundo tempo o Vasco abriu o placar. Parecia que o Fluminense não teria reação, já que tinha pouco tempo e precisava de dois gols para conseguir chegar a final. Porém o Tricolor mostrou garra e virou a partida aos 34 minutos. A torcida da equipe de Laranjeiras já comemorava, mas foi a vez do Vasco mostrar superação e alcançar uma virada inacreditável, com gols acontecendo aos 39 e 41 minutos.

Primeiro tempo sem grandes emoções e com o Fluminense atuando melhor

A etapa inicial parecia um roteiro de um filme em que todos sabem o que vai acontecer. Com a desvantagem de precisar da vitória para avançar de fase, o Tricolor saiu para o ataque. A equipe sentia um pouco a grande viagem feita ao Chile no meio da semana, mas conseguia se impor. Por sua vez, o Vasco preferiu correr riscos e priorizar a defesa para tentar a sorte nos contra-ataques. O grande problema Cruz-maltino é que os contra-ataques não apareciam. A defesa do Gigante da Colina estava muito confusa e os meias Carlos Alberto e Bernardo estavam sem inspirações para criar boas jogadas.

A sorte vascaína é que a inspiração do Fluminense não durou mais que 10 minutos. Os tricolores até pressionavam, detinham o comando da posse de bola, mas viam seus principais jogadores apagados. Deco e Fred não faziam uma boa partida. O restante da equipe também não conseguia jogar o seu melhor futebol. O resultado foi um jogo sem muitas emoções no primeiro tempo e ao chegar o intervalo, a partida estava empatada no 0 a 0.

Drama e viradas

No início do segundo tempo era o Vasco quem tinha as melhores chances. O Fluminense começava a sentir mais cansaço e desgate e Cruz-maltino não perdoou. O time de São Januário explorou muito bem os contra-ataques e os tricolores começavam a se preocupar com o tempo que passava.

Aos 24 minutos, o Vasco parecia ter sacramentado a sua ida a final. Em um contra-ataque fatal, Éder Luís deu lindo passe para Bernardo. O meia não desperdiçou e mandou a bola para os fundos da rede de Diego Cavalieri. A vitória parcial por 1 a 0 era mais do que suficiente para os vascainos, já que obrigava o Fluminense virar o clássico.

Nem o tricolor mais otimista conseguia prever uma virada de seu time. A equipe de Laranjeiras não estava conseguindo jogar bem nem antes do gol do Vasco. A decepção era latente na cara dos torcedores do Fluminense presentes no Engenhão. Porém, contrariando tudo, o Tricolor conseguiu recarregar os combustíveis e partiu para uma pressão incrível contra o Vasco.

O empate não demorou a sair. Aos 32 minutos, o atacante Rhayner, que havia acabado de entrar, tentou dar uma cabeçada, que acabou, por sorte, sobrando nos pés de Thiago Neves. Todo desengonçado, o experiente jogador empurrou a bol para o gol.

Nem dois minutos foram necessários para o Fluminense conseguir virar a partida. Aos 34, o Tricolor conseguia operar um milagre ao fazer seu segundo gol no clássico. Carlinhos bateu firma, mas Alessandro defendeu. O goleiro do Vasco acabou dando rebote, que foi muito bem aproveitado por Wellington Nem, que virou o jogo para a equipe de Laranjeiras.   

Foi a vez do torcedor vascaíno ficar desolado. Ninguém estava acreditando no que tinha acabado de acontecer. O Gigante da Colina estava deixando de forma surpreendente a vaga na grande decisão da Taça Guanabara cair nos colos do seu rival.

Porém, o técnico Cruz-maltino resolveu apostar tudo. Mexeu duas vezes. Colocou Dakson no lugar de Éder Luís e tirou Thiago Feltri para botar Romário em campo. A aposta de Gaúcho deu muito certo e os dois jogadores mudaram mais uma vez a cara da partida.

Aos 38, a combinação dos dois funcionou. Dakson cruzou para Romário empatar o jogo. O resultado mudava novamente o panorama da partida e na ocasião era o Fluminense quem necessitava de um gol.

Todavia, o time das Laranjeiras não conseguiu arranjar novas forças. Pelo contrário, foi o Vasco, que fiel ao cântico de seu torcida - “O Vasco é o time da virada, o Vasco é o time do amor” – fez mais um gol para alcançar a vitória em um dos clássicos mais emocionantes da história das duas equipes.

Aos 41 minutos, o atual ídolo vascaíno fez a torcida Cruz-maltina explodir de felicidade. Após cruzamente de Bernardo, o zagueio Dedé marcou o gol que sacramentou a virada e carimbou o passaporte do Gigante da Colina para a grande final do primeiro turno do Campeonato Carioca.

Escalações:

Vasco da Gama: Alessandro, Nei, Dedé, Renato Silva, Thiago Feltri (Romário), Abuda (Fellipe Bastos), Wendel, Pedro Ken, Bernardo, Carlos Alberto, Éder Luís (Dakson). Técnico: Gaúcho.

Fluminense: Diego Cavalieri, Bruno Vieira (Wellington Silva), Gum, Anderson (Rhayner), Carlinhos, Edinho, Jean, Thiago Neves, Deco (Wagner), Wellington Nem, Fred. Técnico: Abel Braga.

 
 

Ultimas notícias

  • Todas
  • Seleção
  • Clubes
  • Jogadores
prev
    next

    Fórum de Futebol

      prev
      next
      To the top