Especial das Copas: Mundial retorna à Europa após 16 anos, na 5ª edição do torneio

Os alemães levaram a melhor sobre os favoritos húngaros e o Brasil não foi tão longe na Copa do Mundo de 1954, disputada na Suíça

Como aquecimento para a Copa de 2022, o Sambafoot publica uma retrospectiva com todas as edições da Copa do Mundo. Nesta semana, falamos sobre a quinta edição, realizada em 1954.

Após 16 anos de espera, a Europa pôde, enfim, assistir novamente a Copa do Mundo em seu continente. A última havia sido na França, em 1938. A Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945) e a edição no Brasil, de 1950, atrasaram esse retorno. O país-sede escolhido foi a Suíça, onde está a FIFA, organizadora do torneio, como celebração aos 50 anos da entidade.

Dezesseis seleções se classificaram para essa edição do torneio, que tinha como alguns dos favoritos a Itália e o Uruguai. Isso porque, até aquele momento, só esses dois países haviam ganhado o título mais importante de futebol do planeta.

Como foi a Copa do Mundo de 1954

A quinta edição do Mundial ocorreu entre 16 de junho e 4 de julho de 1954. Foram 140 gols marcados em 26 partidas: até hoje a maior média de gols (5,38) na história de uma Copa. O Brasil vinha de um vice-campeonato, em casa, e buscava apagar o trauma do Maracanazzo conquistando seu primeiro troféu.

Mas, tinha uma pedra no meio do caminho: a Hungria. Liderados por Puskas e Kocsis, os húngaros, que já tinham sido vice-campeões em 1938, surpreenderam o mundo com uma ótima performance na fase de grupos.

As 16 seleções foram divididas em quatro grupos de quatro equipes. O Uruguai confirmou o seu favoritismo e passou em primeiro lugar no grupo 3, enquanto a Itália, outra equipe temida, não conseguiu avançar para a fase de mata-mata.

Os grupos

Confira, abaixo, quais equipes se classificaram de cada um dos grupos da Copa do Mundo de 1954.

imagem tabela grupos

Fase final

A Hungria já havia se tornado a seleção mais temida daquela edição, já que havia vencido a Alemanha por 8 a 3 e a Coréia do Sul por 9 a 0, na fase de grupos. E os craques húngaros continuaram ganhando com facilidade na fase eliminatória.

O “Time de Ouro”, como ficou conhecida a seleção húngara, venceu o Brasil e o Uruguai, nas quartas e na semifinal, por 4 a 2. A final seria contra a Alemanha, que estava no mesmo grupo na fase anterior. Mas, na revanche germânica, uma surpresa: a Alemanha venceu por 3 a 2 e se sagrou campeã.

Essa é considerada, até hoje, uma das finais mais surpreendentes das Copas, já que a Hungria havia se tornado a grande favorita ao título, devido ao seu ataque poderoso. Foram 27 gols em cinco jogos no Mundial de 1954, a melhor média de gols (5,2) de uma única seleção na história.

A campanha do Brasil

Confira, na lista abaixo, como foi a campanha da seleção canarinho na Copa de 1954.

  • Brasil 5×0 México (fase de grupos);
  • Brasil 1×1 Iugoslávia (fase de grupos);
  • Brasil 2×4 Hungria (quartas de final).

O meia Didi, conhecido como “Folha Seca”, já fazia parte daquela seleção, que viria a brilhar nas duas edições seguintes do Mundial.

Dados e curiosidades

Veja a seguir alguns dados e curiosidades sobre a 5ª edição da Copa do Mundo, realizada na Suíça.

  • A derrota do Uruguai para a Hungria, na semifinal, foi a primeira derrota dos uruguaios em Copas;
  • Foi a primeira vez em que o Brasil usou camisas amarelas e calções azuis, uniforme que se tornou tradição do país até os dias atuais;
  • Anos depois, veio à tona que os jogadores alemães haviam sido dopados para a grande decisão, apoiados por seus governantes. O jogo ficou conhecido como “O Milagre de Berna”;
  • Os húngaros Kocsis e Puskas foram os grandes craques da Copa. O primeiro foi o artilheiro (11 gols) e o segundo foi eleito o melhor jogador da competição pela FIFA;
  • O melhor ataque da Copa foi o da Hungria (17 gols) e as melhores defesas foram do Uruguai e Áustria (nenhum gol tomado);
  • A média de público da competição foi de 32.211 pessoas por partida.

Artigos Relacionados