Especial das Copas: decepção da torcida brasileira marca a quarta edição do Mundial

Uruguai se juntou a Itália como os, até então, únicos bicampeões de Copas do Mundo

Como aquecimento para a Copa de 2022, o Sambafoot publica uma retrospectiva com todas as edições da Copa do Mundo. Nesta semana, falamos sobre a quarta edição, realizada em 1950.

Após 12 anos de hiato, devido à Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945), a Copa do Mundo da FIFA voltou a ser disputada em grande estilo, em 1950. O Brasil foi escolhido como o país-sede da competição mais importante de futebol do planeta, e o torneio retornou a terras sul-americanas pela primeira vez após a Copa do Uruguai, de 1930.

A empolgação brasileira com o Mundial se tornou frustação ao fim da competição. Mais seleções europeias vieram, após a baixa adesão à Copa de 1930, e até mesmo os então bicampeões italianos tentaram um inédito tricampeonato naquela ocasião. Nesse artigo, você ficará por dentro dos principais detalhes de como foi a 1ª vez que o Brasil recebeu a Copa.

Antecedentes da Copa do Mundo de 1950

A principal razão de o Brasil ter sido escolhido como o país-sede da Copa do Mundo de 1950, pela FIFA, foi o fato da Europa estar completamente desestruturada após o fim da Segunda Guerra Mundial. O país sul-americano foi, inclusive, o candidato único a receber o torneio.

Os estádios já estavam todos prontos, devido à paixão dos brasileiros por futebol. O torneio foi tratado como sucesso no sentido de infraestrutura e instalações. Foram seis sedes, os estádios Independência (Belo Horizonte), Vila Capanema (Curitiba), Eucaliptos (Porto Alegre), Ilha do Retiro (Recife), Pacaembu (São Paulo) e Maracanã (Rio de Janeiro).

Sorteio dos grupos

No dia 22 de maio de 1950, foi realizado o sorteio oficial do torneio, que estava marcado para acontecer entre 24 de junho e 16 de julho. O Brasil, por ser o país-sede, foi o cabeça de chave e o estreante da competição. Confira como foi o grupo dos anfitriões abaixo.

  • Brasil;
  • Iugoslávia;
  • Suíça;
  • México.

A campanha do Brasil

O Brasil fez uma campanha perfeita antes de chegar à grande decisão da Copa de 1950 – não perdeu nenhum jogo. Após terminar como líder da fase de grupos, a nossa seleção, assim com os vencedores dos outros quatro grupos, se classificou para um quadrangular final. Nessa fase, todos jogariam contra os outros uma vez para que, assim, o líder se sagrasse o grande campeão.

Jogos do Brasil antes da decisão

imagem tabela Jogos do Brasil antes da decisão

Decepção na grande final

Após as duas goleadas nos primeiros jogos do quadrangular final, o Brasil poderia empatar com o Uruguai, na última partida da competição (em 16 de julho), que ainda assim seria campeão. A seleção contava com Ademir de Menezes em grande fase – ele terminou a Copa como artilheiro, com nove gols.

Friaça chegou a abrir o marcador para os donos da casa, aos dois minutos do segundo tempo. Mas a torcida se decepcionou ao ver os uruguaios virarem o jogo com gols de Schiaffino (21 minutos do 2º tempo) e Ghiggia (34 minutos da reta final).

O evento ficou conhecido como o Maracanazzo e é tratado como uma das maiores surpresas da história do futebol. Isso porque, também, estavam presentes para a partida mais de 200 mil pessoas no estádio do Maracanã – o maior público da história do futebol.

Dados e curiosidades

  • O Uruguai se tornou, portanto, bicampeão da Copa do Mundo, junto com a Itália;
  • As goleadas do Brasil no quadrangular final ainda são as maiores goleadas do Brasil em Copas;
  • O público da decisão (200 mil pessoas) é o maior público presente da história do futebol mundial;
  • O artilheiro da Copa foi Ademir de Menezes, do Brasil, com nove gols;
  • A média de público por partida foi de 47 mil pessoas.

Artigos Relacionados