Especial das Copas: Alemães conquistam o bicampeonato na 10ª edição do torneio

Seleção brasileira chegou às semifinais no Mundial de 1974 e o holandês Johan Cruyff foi um dos principais jogadores da competição

Como aquecimento para a Copa de 2022, o Sambafoot publica uma retrospectiva com todas as edições da Copa do Mundo. Nesta semana, falamos sobre a décima edição, realizada em 1974.

A 10ª edição da Copa do Mundo foi realizada na Alemanha, entre 13 de junho e 7 de junho de 1974, e contou com 16 participantes. Nove cidades alemãs sediaram a competição: Hamburgo, Hannover, Gelsenkirchen, Dortmund, Düsseldorf, Frankfurt, Munique, Stuttgart e Berlim Ocidental.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945), os líderes dos Estados Unidos e da União Soviética se encontraram e decidiram, temporariamente, dividir a Alemanha – principal pivô do conflito – em duas zonas: a parte Ocidental, onde foi a Copa (apoiado pelos EUA e aliados), e Oriental (URSS).

O país só se unificou novamente em 1990, na reta final da Guerra Fria – período de tensão geopolítico entre a União Soviética e os Estados Unidos.

Como foi a Copa do Mundo de 1974

A seleção mais comentada da Copa de 1974 foi uma que não venceu o título: a Holanda. A “Laranja Mecânica”, como ficou conhecido aquele grande esquadrão, retornou à competição de futebol mais importante do mundo após 36 anos de ausência.

Liderados por Johan Cruyff, o grande nome do torneio, a seleção holandesa apresentou um futebol ofensivo e diferente para a época. Conhecida como “Carrossel Holandês”, a tática previa que os jogadores tivessem liberdade para percorrer o campo, sem uma posição fixa.

Isso não foi o bastante para que a equipe, liderada pelo lendário técnico Rinus Michels, levasse o título, já que os donos da casa também tinham um time poderoso e com grandes nomes da história do futebol internacional.

Alemanha campeã

Os donos da casa possuíam um timaço, com jogadores como Sepp Maier, Paul Breitner, Franz Beckenbauer e Gerd Müller. A Alemanha Ocidental também aproveitou o fato de jogar frente à sua torcida e foi campeã invicta da competição.

Na fase de grupos os alemães venceram por 1 a 0, 3 a 0 e 1 a 0 o Chile, a Austrália e a Alemanha Oriental, respectivamente. Na segunda fase, vitórias sobre Iugoslávia (2 a 0), Suécia (4 a 2) e Polônia (1 a 0).

Já na grande decisão, disputada no Estádio Olímpico de Munique, com um publico estimado de 75 mil pessoas, os alemães foram bicampeões mundiais ao derrotar a Holanda por 2 a 1 (gols de Breitner e Müller).

A campanha do Brasil

O Brasil não chegou na final da Copa, mas fez uma boa campanha, ao terminar a competição na quarta colocação. Confira como foram os jogos da amarelinha naquela edição do Mundial.

A segunda etapa dessa edição consistia na divisão dos oito classificados da primeira fase em dois grupos de quatro seleções. O campeão de cada grupo faria a grande final do torneio. Essa fórmula foi mantida em algumas edições seguintes.

Premiações e curiosidades

O atacante holandês Johan Cruyff foi eleito o melhor jogador da competição. Os poloneses Grzegorz Lato e Wladyslaw Zmuda ganharam os prêmios de melhor marcador (7 gols) e melhor jogador jovem, respectivamente. A Alemanha Ocidental foi a seleção “fair play”.

A seleção da Copa

O “time dos sonhos” da Copa de 1974 foi formada por: Maier, Vogs, Breitner e Beckenbauer (Alemanha), Figueroa (Chile), Krol e Neeskens (Holanda), Deyna (Polônia), Overath (Alemanha), Lato (Polônia), Resenbrink e Cruyff (Holanda).

Curiosidades

  • Cada jogador da Alemanha ganhou US$ 50 mil como prêmio pelo título;
  • A Copa de 1974 foi a 1ª em que o saldo de gols foi usado como forma de desempate;
  • Os jogadores da Holanda cobravam para dar autógrafos para a torcida;
  • A Alemanha se juntou à Uruguai, Itália e Brasil (único tri) como as únicas seleções a terem mais de um título de Copa até então.

Artigos Relacionados