Eternos no coração dos torcedores – morte de Sicupira aumenta lista de ídolos que se despediram recentemente no futebol

Conheça também os maiores ídolos da história dos principais clubes do país

O dia 7 de novembro de 2021 foi de luto para os torcedores do Athletico-PR. O atacante Sicupira, o maior ídolo da história do clube, morreu aos 77 anos devido a problemas pulmonares. A morte do “Rei das Bicicletas” foi muito comentada nos principais jornais esportivos do país, já que ele havia atuado, também, como comentarista de futebol.

Nos últimos dez anos também tivemos outras perdas importantes de grandes ídolos do futebol nacional. Relembre na lista abaixo mais sobre Sicupira e esses outros craques que deixaram saudades para os torcedores dos respectivos clubes em que fizeram sucesso:

  • Sicupira

 

sicupira-capa

Reprodução

Natural de Curitiba, Barcímio “Sicupira” Júnior, nascido em 1944, fez história no Athletico-PR, onde jogou de 1968 a 1975. Ele é o maior artilheiro da história do clube com 156 gols, e ficou conhecido como o “Rei das Bicicletas”, por ter feito vários gols dessa maneira durante a sua carreira. O atacante também teve passagens relevantes por Botafogo e Corinthians.

  • Dirceu Krüger
dirceu

Coritiba Football Clube

O maior rival do Athletico-PR é o Coritiba, e o clube também perdeu recentemente o seu maior ídolo: Dirceu Krüger. O “Flecha Loira”, como era conhecido, morreu em 2019, aos 74 anos, em virtude de complicações após uma cirurgia de obstrução intestinal. O ex-meia atuou no Coxa de 1966 a 1975 e participou da histórica campanha do pentacampeonato paranaense (1971-1975).

  • Carlos Alberto Torres
carlos alberto

Correio da Manhã

Um dos maiores laterais-direitos de todos os tempos na história do futebol, Carlos Alberto morreu em 2016, aos 72 anos, vítima de um infarto fulminante. Considerado um dos maiores ídolos da história do Fluminense e do Santos, ele levantou a taça do tricampeonato mundial da seleção brasileira na Copa de 1970.

  • Djalma Santos
djalma santos

Reprodução

Djalma, assim como Carlos Alberto, também foi lateral-direito e é considerado um dos mestres históricos da posição. Foi bicampeão da Copa do Mundo com a seleção brasileira, ao vencer os torneios de 1958 e 1962. Jogou em apenas três clubes na carreira, mas logrou êxito em se tornar ídolo em todos eles: Portuguesa, Palmeiras e Athletico-PR. Ele morreu em 2013, aos 84 anos, decorrente de parada cardiorrespiratória.

  • Nílton Santos
nilton-santos

Reprodução

Nílton Santos ou a “Enciclopédia do Futebol”, como era carinhosamente conhecido. Tal apelido se deu por causa dos seus conhecimentos sobre o futebol. Era lateral-esquerdo, posição que revolucionou, e é considerado um dos maiores ídolos da história do Botafogo, clube que defendeu por toda a carreira entre 1948 e 1964. Ele foi bicampeão da Copa do Mundo com o Brasil (1958 e 1962) e morreu aos 88 anos em 2013, após ter sofrido do Mal de Alzheimer. O estádio do Fogão foi batizado em homenagem ao craque.

  • Sócrates
socrates

Gazeta Press

Apontado por muitos como o maior ídolo da história do Corinthians, Sócrates morreu em 2011, aos 57 anos, devido a uma hemorragia digestiva alta. O craque disputou as Copas de 1982 e 1986 com a seleção brasileira e foi tricampeão paulista pelo Timão (1979, 1982 e 1983), clube que defendeu entre 1978 e 1984.

Maiores ídolos dos clubes brasileiros

idolos

Revista Placar

Confira na tabela abaixo quais são considerados os maiores ídolos históricos dos doze maiores clubes brasileiros de acordo com as suas gigantes torcidas:

Clube

Maior ídolo

Período

Principais conquistas

Atlético-MG Reinaldo 1973 a 1985 Hexacampeão Mineiro (1979-1983)
Botafogo Garrincha 1953 a 1965 3x Campeão Carioca (1957, 1961 e 1962)
Corinthians Sócrates 1978 a 1984 3x Campeão Paulista (1979, 1982 e 1983)
Cruzeiro Tostão 1964 a 1971 Campeão Brasileiro de 1966
Flamengo Zico 1971 a 1983 e 1985 a 1989 Campeão Mundial de Clubes de 1981
Fluminense Castilho 1946 a 1965 3x Campeão Carioca (1951, 1959 e 1964)
Grêmio Renato Gaúcho 1980 a 1986, 1991 e 1995 Campeão Mundial de Clubes de 1983
Internacional Falcão 1973 a 1980 3x Campeão Brasileiro (1975, 1976 e 1979)
Palmeiras Ademir da Guia 1962 a 1977 5x Campeão Brasileiro (1967, 1967, 1969, 1972 e 1973)
Santos Pelé 1956 a 1974 2x Campeão Mundial de Clubes (1962 e 1963)
São Paulo Rogério Ceni 1990 a 2015 Campeão Mundial de Clubes de 2005
Vasco Roberto Dinamite 1971 a 1979 e 1980 a 1982 Campeão Brasileiro de 1974

Além de Sócrates, Garrincha e Castilho também já morreram em 1983 e 1987, respectivamente.

A figura de maior ídolo pode mudar de acordo com o passar dos anos. Vários craques brilharam pelos clubes citados e ameaçam o posto número um de idolatria desses ex-jogadores. Casos como o de Ronaldinho Gaúcho no Galo, Cássio no Timão, Fábio na Raposa, Gabigol no Fla e Fred no Flu são alguns desses exemplos. E aí, quem você considera o maior ídolo do seu clube?

Artigos Relacionados