Aposentadoria precoce – Agüero é mais um jogador a ser obrigado a finalizar a carreira antes da hora devido a problemas cardíacos

Relembre outros jogadores que tiveram a carreira encurtada pelo mesmo problema

O atacante argentino Sérgio Agüero se aposentou oficialmente do futebol no dia 15 de dezembro, com apenas 33 anos. O jogador foi obrigado a tomar a decisão por conta de problemas cardíacos. Em outubro, ele teve uma arritmia durante partida do Barcelona – clube que defendia – contra o Alavés, pelo Campeonato Espanhol, e precisou ser substituído ainda no primeiro tempo. Após algumas avaliações médicas, Agüero optou por encerrar a carreira precocemente.

O artilheiro anunciou a sua despedida dos gramados em uma entrevista coletiva muito emocionante. Ele atuou em apenas quatro partidas pelo clube catalão e fez um gol. O maior destaque de sua carreira foi a passagem pelo Manchester City, da Inglaterra, onde ficou por dez anos e se tornou o maior goleador da história do clube, com 260 tentos marcados.

“Kun”, como era conhecido o jogador, é mais um a entrar na lista de jogadores que tiveram problemas cardíacos durante a carreira. Alguns inclusive de maneira fatal. Nessa matéria iremos citar casos semelhantes no exterior e no Brasil e jogadores que não resistiram.

No exterior

  • Iker Casillas
jogador-comemorando

Reprodução

O ex-goleiro ídolo do Real Madrid e da seleção espanhola sentiu-se mal no treino quando atuava pelo Porto, de Portugal. Ele foi diagnosticado com um infarto do miocárdio e foi forçado a fazer um cateterismo cardíaco, que não o impediu de abreviar a carreira 2020, aos 39 anos. Ele foi campeão da Copa do Mundo de 2010 com a seleção de seu país.

  • Christian Eriksen
christian eriksen

Marco Bertorello/AFP

O meia dinamarquês de 33 anos caiu desacordado durante uma partida da Eurocopa, em junho desse ano. Ele teve que receber uma massagem cardíaca durante o atendimento médico, pois teve um “mal súbito”. O meia teve que colocar um Cardioversor Desfibrilador Implantável no coração. Ele está sem jogar desde então e, inclusive, teve o seu contrato rescindido com a Inter de Milão no dia 17 de dezembro, após ter sido proibido de atuar em território italiano devido aos riscos do episódio se repetir. A tendência é que o camisa 10 anuncie o fim da carreira de maneira precoce nos próximos meses.

  • Marc-Vivien Foé
marc vivien foe

Getty Images

Em 2003, o ex-meia camaronês defendia as cores de seu país na Copa das Confederações. Na semifinal da competição, contra a Colômbia, o jogador caiu no meio de campo e, após tentativas frustradas dos médicos de reanimá-lo, foi levado ao centro médico e faleceu horas depois, vítima de um infarto fulminante. Ele tinha apenas 28 anos de idade e jogava no Manchester City.

  • Miklos Feher
miklos feher

Reprodução

O atacante húngaro defendia o Benfica e morreu em campo em uma partida contra o Vitória de Guimarães, pelo Campeonato Português, em 2004. Ele nunca foi esquecido pelo clube português e tem a sua camisa exposta no museu do clube. Segundo o relatório médico, ele teve uma arritmia cardíaca devido a uma cardiomiopatia hipertrófica. Ele tinha apenas 24 anos.

No Brasil

  • Washington
washington

Reprodução

Em outubro de 2004, o ex-zagueiro do São Caetano sofreu um mal súbito causado por uma cardiomiopatia hipertrófica no segundo tempo de um jogo do Brasileirão, contra o São Paulo, no Morumbi. Ele acabou falecendo uma hora depois no hospital. O São Caetano foi punido pela CBF com a perda de 24 pontos no Campeonato Brasileiro, devido ao fato de os dirigentes do seu time terem-no deixado jogar mesmo sabendo de seus problemas cardíacos. Ele tinha 30 anos de idade.

  • Doni
doni

Reprodução

O ex-goleiro começou a sofrer de arritmia cardíaca em 2011, quando defendia o clube inglês Liverpool. Ele já tinha conhecimento do problema desde 2004 quando atuava no Santos. Em 2013, quando estava no Botafogo-SP, ele decidiu encerrar a sua carreira precocemente, aos 34 anos, pois os problemas cardíacos tinham se intensificado. O próprio atleta revelou que chegou a ficar com o coração pardo por 25 segundos durante um treinamento e foi aconselhado a pendurar as chuteiras. Ele defendeu a seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010.

  • Adílson Warken
adilson-warken

Alessandra Torres/Folhapress

O ex-volante do Grêmio e do Atlético-MG deixou de jogar profissionalmente em 2019, aos 32 anos, após exames detectarem uma cardiomiopatia hipertrófica que o impediria de continuar atuando. Ele chegou a trabalhar como assistente-técnico no clube mineiro por um período após anunciar a aposentadoria. Recentemente ele ocupou o mesmo cargo no Coritiba, mas se desligou do clube em abril desse ano.

Sobre Sergio Agüero

Natural de Buenos Aires, onde nasceu em 2 de junho de 1988, Agüero iniciou sua carreira no Independiente, em 2003, permanecendo no clube até 2006. Ele depois se destacou no Atlético de Madrid, entre 2006 e 2011, e no Manchester City, entre 2011 e 2021. É considerado um dos maiores ídolos da história do clube inglês.

No Barça a passagem foi relâmpago, apenas quatro partidas em 2021 até a fatídica partida que selou sua aposentadoria. Disputou as Copas de 2010, 2014 e 2018 pela seleção argentina. Ele foi medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 2008 e campeão da Copa América de 2021 por sua seleção.

Outros títulos importantes de sua carreira foram a Liga Europa de 2010, pelo Atlético, e cinco títulos do Campeonato Inglês pelo City – 2012, 2014, 2018, 2019 e 2021.

Artigos Relacionados

maio 24, 2021
Balao Comentario 0
O jogo teve dobradinha do argentino e de brasucas.