Conheça Rafaelle Souza, a primeira jogadora brasileira contratada pelo Arsenal

O Arsenal anunciou a zagueira Rafaelle Souza como reforço para seu time feminino.

O Arsenal anunciou a zagueira Rafaelle Souza como reforço para seu time feminino. Aos 30 anos, ela é a primeira jogadora brasileira a vestir a camisa dos Gunners, clube que já teve nomes históricos como Gilberto Silva e Edu no seu time masculino.

Convocada regularmente para a Seleção Brasileira, Rafaelle disputou duas Olimpíadas e atualmente defendia o Changchun Zhuoyue, da China. Antes, passou por clubes do Brasil e jogou futebol universitário nos Estados Unidos, onde se formou como engenheira civil.

Conheça melhor a carreira e estilo de jogo da Rafaelle Souza, que agora faz história na Inglaterra!

A longa trajetória de Rafaelle Souza no futebol

A história de Rafaelle Souza nos gramados começa muitos anos antes do Arsenal.

Na verdade, é um caminho bem diferente, porque além de sair de uma pequena cidade da Bahia, ela também jogou futebol universitário e conseguiu o diploma de engenheira nos Estados Unidos. Mas o futebol, sem dúvida, é sua prioridade.

Início na Bahia

A sua carreira começou ainda adolescente, quando deu os primeiros passos na sua cidade natal. “Eu morava em Cipó, no interior da Bahia, e sempre joguei futsal com os meninos”, recorda a jogadora, em entrevista à CBF.

No ensino médio, ela se mudou para Salvador e ganhou destaque nos jogos escolares. Logo chamou a atenção do treinador do São Francisco do Conde e, aos 15 anos, foi direto para o time adulto, além de ser indicada para a base da Seleção Brasileira.

No currículo, tem uma ótima campanha na Copa do Brasil de 2007, quando ganhou destaque e apareceu de vez para o futebol nacional.

Universidade nos Estados Unidos e longo período na China

Depois de jogar o Mundial Sub-20 com a seleção feminina, em 2012, ganhou uma bolsa para cursar engenharia nos Estados Unidos. Por lá, conciliou os estudos com o esporte e defendeu a camisa do Houston Dash.

Posteriormente, quando concluiu a universidade em 2014, voltou ao Brasil. Defendeu novamente o São Francisco e o América-MG no Brasileirão.

Em 2016, recebeu uma proposta para jogar na China e assinou com o Changchun Zhuoyue, onde jogou até despertar o interesse do Arsenal.

Curta passagem pelo Palmeiras

No início de 2021, Rafaelle teve a oportunidade de vestir a camisa do Palmeiras. De férias noo Brasil, a zagueira enfrentou dificuldades para retornar à China por conta das restrições de viagem impostas para conter a pandemia de Covid-19, e acabou vindo por empréstimo para o clube paulista, com o objetivo de ganhar ritmo para as Olimpíadas.

A curta passagem durou dois meses e apenas oito jogos. Rafaelle não teve a oportunidade de disputar o mata-mata do Campeonato Brasileiro porque seu contrato terminou no fim de junho, mas ajudou a equipe alviverde a ter uma das melhores defesas da competição.

Polivalência em campo

Reforço para a zaga dos Gunners, Rafaelle é conhecida pela sua versatilidade. Durante a carreira, jogou em praticamente todas as posições. Quando foi chamada pela primeira vez para a Seleção Brasileira adulta, em 2011, era lateral-esquerda. Por isso, seu estilo de jogo une velocidade e habilidade, algo que não é comum para as defensoras.

Também atuou como meio-campista durante o período nos Estados Unidos e, apesar de ter sido contratada como zagueira, foi escalada algumas vezes no ataque no futebol chinês.

No Arsenal, a história promete ser diferente. Até pelo seu histórico, ela atesta que pode jogar em qualquer posição, mas seu objetivo é se destacar no sistema defensivo: “eu quero ser a melhor defensora que puder no Arsenal”, disse em entrevista ao www.arsenal.com.

Presença constante na Seleção Brasileira

A história de Rafaelle Souza com a camisa amarelinha começa antes de 2011. Ainda com 15 anos, quando brilhou pelo São Francisco do Conde, começou a receber suas primeiras oportunidades nas categorias de base.

Após passagens de sucesso pelos times sub-17 e sub-20, tornou-se um nome frequente na lista de convocadas entre as profissionais. A transição para o miolo da zaga veio na Copa do Mundo de 2015, no Canadá, quando foi improvisada por problemas de lesões no elenco. De lá, não saiu mais.

Rafaelle tem 33 jogos e cinco gols pelo Brasil. Seus principais títulos são a Copa América (2018) e o Pan Americano (2015), torneio em que marcou dois gols na semifinal.

Também participou de duas Olimpíadas (2016 e 2020). Em Tóquio, colecionou boas atuações, mas perdeu um dos pênaltis que sacramentou a eliminação brasileira contra o Canadá, nas quartas de final.

Expectativas no Arsenal

O Arsenal Feminino tem tradição na modalidade e disputa os principais torneios da Europa. Na atual temporada, está nas quartas de final da Champions League e lidera o Campeonato Inglês. Por sinal, as Gunners têm o recorde de títulos da competição, com 15 troféus.

Reforço da equipe, Rafaelle reconhece a grande oportunidade de jogar na Inglaterra e sabe dos desafios que terá pela frente.

“Me sinto ótima por estar aqui e por jogar em uma liga tão forte e competitiva. O meu desafio é mostrar o meu futebol para o mundo”, destacou a zagueira.

Em Londres, ela vai encontrar os brasileiros Gabriel Martinelli e Gabriel Magalhães, além do dirigente Edu Gaspar. Se repetir a história de outros compatriotas que já vestiram a camisa do Arsenal, serão temporadas de muito sucesso para Rafaelle Souza.

Artigos Relacionados